(Retomando nossas publicações, com ou sem greve, e que a URP ajude!)

Bula
A Lúcia H.,
Cuja reação prevejo

Ela tinha olhos negros
Não mereciam uma metáfora
Parecia desconfiada
Da vida, do mundo, dos poetas chulos
Com seus substantivos abstratos

Ouvia música
Minha vontade era, sabe?
Entrar lá
Sentar a seu lado e dizer
Entrei neste ônibus por sua causa
Seu sorriso me mostraria que
Eu interpus um clichê e isso dificulta tudo

Ela tinha cabelo despenteado
[Também negro]
O que mostrava seu provável desdém
Por poetas chulos e verbos
No futuro do pretérito

Funcionaria melhor o modo subjuntivo?
Se eu entrasse fosse direto
Ao ponto de não retorno,
Ela risse do clichê e retomássemos,

O brilho oblíquo naquele rosto fugidio
Que merecia uma metáfora
Era um indício de tédio,
Tácita disposição contra poetas dúbios
Se fosse, ignoraria?
O tudo, o nada, o sempre, o vazio,
o mundo, a vida, o poeta.

Hugo Crema : hugo.crema@gmail.com

Blog – www.fromhellwithlasers.blogspot.com

Anúncios